Seguidores

quinta-feira, 18 de junho de 2015

No Meio do Caminho



No meio do caminho tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho
Tinha uma pedra
No meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento

Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
Tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra.


Carlos Drummond de Andrade



68 comentários:

  1. Bom dia Francisco.
    No meio do caminho tinha uma pedra.Tinha uma pedra no meio do caminho. Tinha uma pedra No meio do caminho tinha uma pedra. Um belo texto e tão verdadeiro, acho que na vida de todos nós temos pedras no caminho. Um belo dia meu amigo. Abraços.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia há que saber tirá-las.. Gostei muito.

    beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Lindo esse poema e temos que saber retirar sempre as "pedras" dos nossos caminhos! abraço, lindo dia! chica

    ResponderEliminar
  4. Que linda escolha do texto, pois sempre tem uma pedra no meio do caminho, senão muitas, mas é preciso saber tirá-las né mesmo?
    Amei ler amigo Francisco, tenhas um lindo dia!

    ResponderEliminar
  5. Adorei este poema :)


    R : Muito obrigada

    ResponderEliminar
  6. Oi Francisco
    Adoro Carlos Drummond de Andrade, tenho vários livros dele
    Obrigada pelo carinho
    Beijos no coração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um escritor e poeta de que eu também gosto bastante.
      Um abraço.

      Eliminar
  7. Olá Francisco palavras lindas de Carlos Drummond de Andrade.
    As pedras que nos aparecem,quem sabe um dia poderão nos servir de degraus ao encontro de novos caminhos.
    Bjs-Carmen Lúcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Interessante e muito bela a sua visão sobre o poema de Drummond,
      Muito obrigado pelo precioso comentário.
      Um abraço.

      Eliminar
    2. Que bom que Carlos Drumond encontrou uma pedra no caminho e pode nos brindar com tão linda poesia.
      E que bom que encontramos pedras em nosso caminho, assim podemos exercitar nossa ousadia.
      Grande abraço para vocês.

      Eliminar
  8. A pedra pode fazer a diferença

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Gosto de Drummond e o poema é muito lindo!
    Um abraço. Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  10. É um poema lindíssimo que não conhecia!
    Obrigada pela partilha!
    Bj

    ResponderEliminar
  11. Oi Francisco,
    Passando para agradecer o carinho
    Beijos no coração

    ResponderEliminar
  12. Pois é no meio do nosso caminho existe sempre uma pedra, várias pedras.
    Lindo poema, não conhecia.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Boa tarde Francisco
    Sempre haverão pedras , que temos que tira-las e continuar nossa caminhada até o derradeiro dia.
    Abraço.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  14. A pedra estará sempre lá...e sempre que houver vidra, a pedra será a companheira de cada um de nós.

    ResponderEliminar
  15. Olá Francisco
    Linda postagem. Desejo um ótimo final de semana. Bjs

    ResponderEliminar
  16. Conheço uma pessoa que tem uma pedra assim, pintada, que no seu escritório serve de peso de papel.
    Já o poema de Carlos Drummond de Andrade fez-me lembrar aquele que uns dizem ser de Fernando Pessoa; outro do Augusto Cury. Com certeza conhece bem. Termina assim:
    "Pedras no caminho?
    Guardo todas, um dia vou construir um castelo...".

    Abr/bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando faço as minhas pequenas caminhadas geralmente apanho sempre uma pedra que me acompanha e muitas vêm comigo para casa foi o caso desta que está na fotografia, foi apanhada à beira mar em Sines.
      Um bom fim de semana.

      Eliminar
    2. Também tenho algumas apanhadas no campo, outras apanhadas na praia e da beira-rio e guardo alguns seixos pequeninos ainda de quando jogava o jogo das pedrinhas, há muitos anos claro!
      Bom fim de semana.

      Eliminar
  17. Grande Drummond!
    muito bem conseguido este «post».

    Há sempre uma pedra...

    Beijo

    ResponderEliminar
  18. Gosto tanto!

    r: Muito, muito obrigada. É bom ler isso

    Grande verdade*

    ResponderEliminar
  19. Gosto muito desse poema de Drummond! Foi bom relê-lo.
    Abraço Francisco e bom um fim de semana

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  20. A vida seria demasiado facil sem pedras, sem obstáculos. Quem disse que quem vence sem obstáculos, triunfa sem gloria?
    O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. Padre A. Vieira.

    ResponderEliminar
  21. Francisco , Drummond é um dos poetas que quanto mais se lê mais se aprende , não é ? Agradeço a partilha . Abraços e bom domingo .

    ResponderEliminar
  22. Sem pedras no caminho como poderíamos conhecer os nossos limites?
    Muito adequada a escolha do Carlos Drummond de Andrade para a "ilustração" das fotos.
    Tenho comigo uma pedra/jogo que trouxe de Tenerif, há para aí 3/4 anos, sempre bem visível na minha secretária. O engraçado é que também a fotografei para completar um texto que publiquei no blogue ( http://portate-mal.blogspot.pt/2010/08/as-cores-do-planeta.html ).
    Bj, amigo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando faço algumas caminhadas ou passeios gosto de apanhar uma pedra que me acompanha, na maioria das vezes no final devolvo-a à natureza esta da fotografia veio comigo para casa e já tem uns anitos foi num passeio à beira mar em Sines.
      Um abraço e boa semana.

      Eliminar
  23. Boa noite amigo Francisco!!!
    E que saibamos lidar com as pedras no caminho...que possamos fazer das pedras, belíssimas esculturas...
    Que Deus continue a nos abençoar sempre!!!
    Tudo de bom!!!
    Bjokas...da Bia!!!

    ResponderEliminar
  24. Olá Francisco,

    Inesquecível este poema de Drummond.
    Quem não encontra pedras pelos caminhos da vida? Se estão lá é porque precisamos aprender como retirá-las, exercitando um processo de aprendizado necessário à nossa evolução.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  25. Bonito poema, quién no ha encontrado una piedra en su camino....
    Buen comienzo de semana!!! mi g+ para el post!!!:)))

    Besos, desde España, Marcela♥

    ResponderEliminar
  26. Boa noite Francisco.
    Uma linda semana. Beijos

    ResponderEliminar
  27. Lindo poema e bem significativo. As pedras sempre existiram em nossos caminhos, só não podem impedir de continuar a nossa caminhada aqui. agradeço a doce visita no meu cantinho. Um abraço, Desejo um dia lindo.

    ResponderEliminar
  28. O grande poeta fez da pedra uma inspiração e a eternizou em seus versos. Elas estou por toda parte e podemos olhá-las de diferentes modos, dependendo do que existe em nosso interior. Abraço.

    ResponderEliminar
  29. Olá Francisco! Acredito que as pedras que se nos apresentam em nosso caminho, valorizam ainda mais os frutos dos nossos esforços ao transpô-las. Ótima escolha!

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  30. Gosto imenso de Drummond! Tem um humor muito subtil, muito ao meu gosto.
    Este poema, bastante conhecido, é disso um bom exemplo.

    Um abraço
    MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

    ResponderEliminar
  31. Oi Francisco! Passando para agradecer a tua visita e gentil comentário, assim como desejar muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  32. Alguém disse: apanho todas as pedras do meu caminho, e com elas vou construir um castelo.

    Isabel Sá
    http//brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  33. Um poema que Drummond soube bem lembrar que nas nossas caminhadas podem surgir pedras a nos surprrender... rs
    Cabe a cada um retirá-las e seguir em frente.
    um abraço grande Francisco

    ResponderEliminar
  34. pessoalmente, gosto deste poema.
    mas confesso que gostei da originalidade da foto.
    ficou um conjunto perfeito.
    bom fim de semana.
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
  35. Dizendo sempre o mesmo, Drummond fez um poema diferente.
    Bom fim de semana. Abraço.

    ResponderEliminar
  36. Oii...
    Esse é um dos escritos de Carlos Drummond de Andrade que mais gosto!
    Não tem como não se encantar com as palavras dele.
    Bom final de semana.
    Beijinhos ;**

    Leitora Online

    Facebook | Instagram | Twitter

    ResponderEliminar
  37. Ah!...Carlos Drummond não precisa de comentários...
    Francisco, grande abraço!

    ResponderEliminar
  38. Boa noite Francisco.
    Vim lhe desejar meu amigo um domingo muito feliz.
    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  39. Belíssima escolha. Sempre tem uma pedra no meio do caminho, no meu, demasiadas.
    Beijo.
    Nita

    ResponderEliminar
  40. Tenha uma ótima semana.
    Abraço.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  41. Ao longo da nossa vida encontramos sempre pedras no nosso caminho...fantástico poema, e a conciliação da pedra em cima do livro está um cenário perfeito!
    uma boa semana :)
    http://mypreciouspace.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  42. Que poema tão lindo, adorei .... Uma excelente semana e tudo de bom :)

    ResponderEliminar
  43. Olá Francisco! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, bem como desejar uma ótima semana para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  44. Belíssima escolha, amigo
    Te desejo uma abençoada semana repleta de paz.
    Um forte abraço de
    Verena e Bichinhos

    ResponderEliminar
  45. Bom dia Francisco.
    Uma alegre semana. Beijos.

    ResponderEliminar
  46. Oi Francisco
    Ficou uma maravilha o seu cabeçalho.
    Eu tenho tantos livros que não cabem nas estantes, muitos estão deitados dentro dos móveis, preciso fazer uma arrumação. comecei a fazer coleção de livros meu filho tinha 3 anos. Vinha um livro por semana na banca, era baratinho. Comprei várias coleções assim. Agora quando
    vou a Ribeirão Preto(Uma metrópole) e vou sempre, pois é a cidade dos planos de saúde e muitos médicos e na volta passo no shopping e quando vejo algum livro bom eu compro. Agora quando vou para Poços de Caldas, outro Estado vou no sebo e me esbaldo.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó minha amiga já somos dois os meus livros muitos deles já estão em segunda fila, mas sou incapaz de me desfazer deles.
      Um abraço e continuação de uma boa semana.

      Eliminar
  47. Que tengas una bella semana!!!
    Besos, Marcela♥

    ResponderEliminar
  48. Nunca he leído nada de Carlos Drummond. Este poema me ha parecido interesante. Siéndote sincero, es que a veces es difícil de entender los versos, aunque lo intuyas, por la mala traducción que hace google de ellos.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  49. À tantas pedras pelo caminho...temos que as contornar ou apanhar para seguir em frente...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  50. Oi Francisco, obrigada por acompanhar meu projeto: será bem longo e para descansar domingo coloco uma poesia.
    Beijos no coração

    ResponderEliminar
  51. Pedras no meio do caminho( mesmo em sentido figurado), são fácil , ou um tanto menos fácil, de transpor!

    O busílis da questão, está nas MenINAS, que não detectamos no caminho.






    ResponderEliminar
  52. Não sou um robô !

    Inserir comentário, neste blog , é tarefa hercúlea.

    Melhores cumprimentos.


    ResponderEliminar
  53. Querido amigo,
    Obrigada por brincar junto lá nos "bichinhos"
    Tenha uma ótima semana.
    Um grande abraço de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderEliminar

  54. Já tinha lido este poema (há muito tempo) e confesso-te que na altura achei-o um pouco infantil e até um pouco ridículo pela repetição que Drummond usa...
    Mas a vida vai-nos ensinando que é assim mesmo... todos os dias temos pedras no nosso caminho e que, se não fosse por elas, nós não conseguiríamos evoluir, da mesma forma, na nossa humanidade.

    Um beijinho agradecido por me recordares deste poema.
    Fica bem
    (^^)

    ResponderEliminar
  55. Olá, Francisco.
    A poesia única de Drummond.
    Nosso caminho é povoado de obstáculos e de pedras que continuam no caminho ou nos acompanham na memória, consoante a dificuldade em ultrapassá-las.
    Também tenho pedras de que guardo memória e , volta e meia lá recordo que
    "No meio do caminho tinha uma pedra" ;)

    * fora toda esta "poesia e reflexão", eu adoro as pedras que encontro nas minhas caminhadas pelo areal e, muitas acompanham-me de volta para casa. Algumas são trabalhadas em artesanato, outras continuam ao natural. Inclusive, na minha casa de banho as saboneteiras foram substituídas: há uma concha enorme e uma pedra, ambas esculpidas pela natureza, a propósito, para mim =)

    abç amg

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...